Alcoolismo

 06 maio 2015   Em:

Na prática da psicoterapia, deparo-me com um problema muito comum: o alcoolismo.

O Ministério da Previdência anunciou recentemente que, nos últimos seis anos, quase cem mil brasileiros afastaram-se dos empregos ou foram demitidos por causa do alcoolismo. Este fato, que está se tornando alarmante, se dá porque o álcool provoca a perda dos vínculos com a responsabilidade, levando desinteresse pelas atividades profissionais e sociais.

Se nos perguntarmos, sinceramente, para que servem as bebidas alcoólicas chegaremos, com certeza, à unanimidade de resposta: para nada.

Ela em nada contribui para o nosso organismo, muito pelo contrário. O uso contínuo de bebida etilizada traz alterações aos padrões de funcionamento do fígado, aparelho digestivo, coração, sangue, músculos, glândulas endócrinas e outros órgãos. Mas, então, porque as pessoas fazem uso dela? Essa pergunta é tão antiga quanto à própria bebida.

As respostas são variadas, mas nenhuma explica, de forma razoável ou científica, algo que justifique sua ingestão, mesmo assim seu consumo vem aumentando consideravelmente sem que as pessoas se deem conta disso.

O que a bebida faz ao nosso organismo é o entorpecimento dos sentidos e do psiquismo, ou seja, da mente, sendo esse último o principal motivo.

Os aborrecimentos do dia a dia, estresse, sentimento de fracasso, medo, desentendimentos nos relacionamentos são os grandes motivos que levam as pessoas a ingerir bebidas alcoólicas, a fim de aliviarem os sentimentos que as perturbam. O que é uma ilusão, uma vez que o efeito da bebida passa e os desafios continuam a existir.

Não são apenas os sentimentos de aborrecimentos que levam as pessoas a beber, os de alegria também, como a comemorações de um aniversário, casamento, promoções no trabalho ou quando seu time de futebol leva a melhor.

O grande problema é fato de que a ingestão de bebida alcoólica tornou-se normal e aceito socialmente sem muita reflexão. E dessa forma passa despercebido o perigo que se sucede.

É muito comum ver o incentivo ao uso do álcool em novelas e filmes. Nesses, exibem-se inúmeras cenas de uso de bebidas alcoólicas. Nos filmes, por exemplo, é muito comum vermos personagens estressados saírem do trabalho e irem direto para o bar. Nas novelas, o uso é mais social, apresentando um o outro caso de alcoolismo extremo. O perigo é a mensagem subliminar que essas cenas proporcionam, pois levam as pessoas a fazerem associações de situações vividas, nestes exemplos, com as suas próprias experiências e, inconscientemente, adotam a mesma conduta, indo a bares e convidando amigos e familiares a compartilharem de momentos regados a bebida.

A falta de seriedade no problema causa desatenção e só faz aumentar os casos graves do uso e abuso de bebida alcoólica. Entre eles, está a morte. O número de mortes em acidentes de carro causados por condutores alcoolizados se mantém, apesar da tolerância zero da Lei Seca. Crimes, em sua grande maioria, são cometidos por acusados sob o efeito de álcool, além das agressões de todas as espécies.

As consequências que a ingestão de bebida etilizada trazem, são inúmeras. Entre elas está a perda do emprego, o prejuízo familiar, o vício, o desequilíbrio psicológico e emocional, deficiência na aprendizagem, relaxo moral e comportamental, desrespeito, perda do convívio social, perda da autoestima, prejuízo financeiro etc.

Hoje em dia é muito comum ver adolescentes ingerindo bebidas alcoólicas em locais públicos, próximos a saída de escolas ou em parques e praças, espalhadas pela cidade. A falta de orientação dos pais ou responsáveis a respeito desse tema é preocupante. Muitas vezes, os próprios pais armazenam bebidas em casa e/ou ingerem-nas na frente dos filhos. Ao crescerem em ambientes assim, as crianças consideram isso normal e aceito. Como os pais são os espelhos para seus filhos, esses por sua vez, acabam reproduzindo o que aprenderam e o que viram desde pequenos: a beber.

Muitos lares são destruídos ou desfeitos, muitos casamentos se esgotam com os problemas que o álcool traz. Muitas mulheres sofrem de agressões de seus parceiros alcoolizados. Muitos parceiros não suportam suas companheiras alcoolizadas. Inúmeros abusos ocorrem por causa do álcool e é preocupante o fato desses índices estarem crescendo.

A falta de conscientização da população agrava o abuso de bebida alcoólica. Por ser uma droga lícita, as pessoas fazem uso e abuso de forma confusa porque não possuem conhecimento, razão pela qual não formam uma opinião a respeito. Cabe as famílias se atentarem para esse mal que ronda a nossa sociedade e esclarecer que a bebida alcoólica vicia tanto quanto qualquer outra droga ilícita. O fato de ser aceita socialmente não indica que deve ser ingerida só porque a maioria o faz. Por isso é necessário ter conhecimento e opinião formada.

A bebida alcoólica não deve ser tratada como algo normal, porque não é. O combate mais eficaz ainda é o preventivo. A conscientização e orientação a respeito ainda são os meios mais eficientes a serem utilizados.

André Coelho.

Psicólogo – Escritor – Profissional Coach

Share on FacebookTweet about this on TwitterGoogle+

Sobre o Autor

André Coelho

André Coelho

André Luiz Gomes Coelho, nasceu em São Paulo, capital, no dia 08 de dezembro. Casado, pai de uma filha, Psicólogo Clínico, com Pós-Graduação em Psicologia Analítica – Junguiana, cursou Psicoterapia Breve pela ABRAPE. É Profissional Coach – Mentor & Holomentor (Sistema ISOR®) - Credenciado pelo Instituto Holos. Possui o título de Mestre com defesa de dissertação no Estudo de Estresse na Gerência Média. Também é graduado em Administração de Empresas. Professor Universitário ministrante em mais de dez disciplinas. Trabalhou em organizações multinacionais, governamentais e outras. Autodidata, André Coelho sempre teve sua curiosidade focada no comportamento humano. Hoje, sua atenção está voltada para decifrar as soluções para as dificuldades humanas, e, através do livro “O que você está pensando?”, procura “desmontar” as teorias acadêmicas e clássicas da Psicologia em prol de muitos, tornando-as unidades menores para maior entendimento do público em geral.

Últimos Posts

Comentários

Um comentário em “Alcoolismo”

  1. Iolanda Krusnauskas disse:

    Concordo plenamente, André. O álcool é uma droga tão destrutiva quanto qualquer outra, ou até mais, pois a falta de discernimento de uma pessoa alcoolizada ao volante, por exemplo, pode matar. Enfim, parabéns pelo texto! Sou da mesma opinião, mas… infelizmente somos a minoria. Vou promover seu texto amplamente. De gota em gota, um dia as coisas mudam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *